sábado, 30 de julho de 2016

Greve dos professores do Ceará completa três meses

A greve dos professores estaduais do Ceará completa três meses sem previsão para o encerramento das paralisações. A greve passou a ser ilegal desde o dia 16 de maio. A decisão diz que os professores devem voltar imediatamente às atividades, com risco de multa diária de R$ 5 mil por cada professor em greve. Mesmo assim, eles decidiram em assembleia pela continuidade da paralisação.
Parte do grupo que está na Seduc se reuniu com o secretário, Idilvan Alencar. Nessa conversa, os professores pediram compromisso da secretaria com a realização de novos concursos públicos na área e a revisão da tabela de vencimentos dos funcionários da educação.
A secretaria informou que oferece um reajuste para os professores, a partir da lei do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), que dá margem de utilização de 80% pra pagar o salário dos professores. Além disso, seria antecipado o pagamento da promoção sem titulação. A secretaria também já tinha anunciado um pacote de R$ 140 milhões para ser investido na área.
Os professores em greve pedem melhores condições de trabalho e reajuste salarial de 12,67%.
Apesar da greve, tem professor que continua trabalhando e algumas escolas voltaram às atividades normais. A previsão é que, a partir da próxima segunda-feira, essas escolas preparem um novo calendário para cumprir os 200 dias letivos.
Fonte: G1