sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Policial baleado em ônibus em Fortaleza tem morte cerebral

José Eudes da Silva Monte tinha tinha 46 anos e era lotado no 17º BPM (Foto: Arquivo Pessoal/Família do Sargento Monte)
O sargento da Polícia Militar (PM) José Eudes da Silva Monte teve morte cerebral confirmada na manhã desta quinta-feira, 28. Ele estava internado desde terça-feira 26, no Instituto Dr. José Frota (IJF), quando foi atingido por dois tiros em um ônibus, no cruzamento das avenidas A e B, no bairro Conjunto Ceará.

O policial tinha 46 anos e era lotado no 17º Batalhão de Polícia Militar (17º BPM), no bairro Conjunto Ceará. Conforme o cunhado do sargento, Flávio Holanda, José Eudes estava na corporação há 25 anos e nunca havia passado por processo administrativo. O sargento Monte deixa dois filhos, de 19 e 16 anos, e uma esposa com quem estava casado há 20 anos.

Esta foi a terceira morte de um policial militar em 2016. Antes de José Eudes, foram mortos o subtenente Benedito Gomes Assunção, em Juazeiro do Norte; e o soldado Hudson Danilo Lima de Oliveira, em Jaguaretama.

Prisão de suspeitos

Ainda desta quinta-feira, 27, três pessoas foram presas suspeitas de participar da ação que resultou na morte do sargento Monte. Além delas, foi preso um quarto integrante do grupo, que teria dado apoio ao crime em um carro modelo Chevrolet Celta, de cor preta.

As prisões se deram em uma força-tarefa coordenada pelo delegado Pedro Viana, titular do 12º Distrito Policial (12º DP). Raquel Rodrigues Lima, 19, — que já responde por adulteração de sinal identificador de veículo automotor — e Rogério dos Santos Rocha, 19 — sem antecedentes criminais — foram presos em um condomínio na rua Guararema, no bairro Granja Lisboa.

Raimundo Nonato de Sousa Barroso, 27, foi preso em seguida. Segundo as investigações, ele dirigia o carro Celta que serviu de fuga ao trio. Ele já responde por roubo, crime de trânsito e contravenção penal, além de estar com um mandado de prisão em aberto.

À noite, foi preso Cristian Nilton Nascimento da Silva, de 20 anos, no bairro Jurema, em Caucaia (Região Metropolitana de Fortaleza). Ele é apontado como o autor dos tiros que vitimaram o sargento Monte. A mãe de Cristian teria denunciado o filho à polícia, após reconhecer o filho nas imagens de câmeras de vigilância do ônibus em que ocorreu a ação.

O crime

O sargento Monte foi atingido em um ônibus da linha Conjunto Ceará/Antônio Bezerra II. no momento em que o veículo estava nas proximidades do cruzamento das avenidas A e D, no bairro Conjunto Ceará. Conforme o coronel Nascimento, responsável pela Área Integrada de Segurança 2 (AIS 2), o trio subiu no ônibus no terminal de Antônio Bezerra, enquanto o policial, na avenida Mister Hull.

O sargento Monte, conforme o relato, notou que Raquel estava passando uma arma a Rogério e tentou impedir. Ao fazer isso, foi atingido por dois tiros, no queixo e no olho, por Cristian, apurou a polícia. 

Fonte: O Povo