sábado, 31 de outubro de 2015

Disputa pela água do Açude Trussu

A exemplo de outros reservatórios, as águas do Açude Trussu viraram motivo de disputa entre produtores e a população em geral ( FOTO: HONÓRIO BARBOSA )
Iguatu. A disputa por água traduz-se numa verdadeira guerra e esse conflito chegou a esta cidade, na região Centro-Sul do Ceará. Um dia depois da reunião da Comissão Gestora do Açude Trussu decidir por votação reduzir a vazão de água de 800 litros por segundo para 200 l/s, produtores rurais convocaram uma reunião extraordinária para tentar rever a decisão anterior.
Na última reunião sobre a locação de água do Açude Trussu ficou decidido que a vazão poderia ser de até 800 litros por segundo, mas a partir de 1º de janeiro de 2016 seria reduzida para 200 l/s. Agora os produtores querem os meses de novembro e dezembro para se adaptar.
"Vamos reduzir área de cultivo irrigado de culturas perenes e o número de bovinos", disse o produtor, José Mauro Linhares.
Segundo dados da Cogerh, o reservatório chegará com 20,7% de sua capacidade em 1º de janeiro de 2016, caso seja mantida uma vazão de 200 litros por segundo; e ao nível de 20% com liberação de 500 litros por segundo. "Esses dados estão corretos, somos uma empresa transparente, séria", disse Raimundo Lauro Nogueira Filho, gerente regional da Cogerh.
O agrônomo e presidente da ONG Rio Jaguaribe, Paulo Maciel, foi um dos que defenderam a proposta de vazão mínima, 200 l/s, que venceu por 11 votos a 9, na reunião da Comissão Gestora da barragem, na última quinta-feira.
Fonte: Diário do Nordeste