sábado, 28 de fevereiro de 2015

Tensão marca primeira audiência de Ciro com Camilo no Palácio da Abolição


O diretor da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) responsável pela Transnordestina, Ciro Gomes (PROS), exaltou-se durante o primeiro encontro após as eleições com o governador Camilo Santana (PT) no Palácio da Abolição, na última quarta-feira (27).

Ciro teria reclamado da independência do governador em relação aos Ferreira Gomes, seus padrinhos políticos. Camilo Santana tem dialogado com políticos que fizeram oposição forte ao ex-governador e atual ministro da Educação, Cid Gomes (PROS), como o deputado estadual Capitão Wagner (PR).

Além disso, o deputado federal Antonio Balhmann (PROS) perdeu a votação para se manter coordenador da bancada cearense na Câmara para o petista José Airton. A derrota veio após o correligionário de Cid impedir uma moção, em reunião da bancada, contra o fim da Refinaria Premium II, que viria para o Ceará. O deputado ainda tenta reverter o quadro. 

Sem resposta

Apesar de estar enfrentando, logo no começo do mandato, crises devido a obras realizadas no governo Cid, como a possibilidade de reabertura de investigações sobre a falta de licitação na contratação de construtora do Acquario do Ceará, o cancelamento da Refinaria Premium II, prometida pelo ministro e as suspeitas de irregularidades na contratação de construtoras do Cinturão das águas, as críticas do ex-secretário ficaram sem resposta.

Relação conflituosa

Ainda durante a campanha, Ciro Gomes já teria se exaltado em conversas com o então candidato Camilo. O ápice do confronto ocorreu devido a demora de Camilo ultrapassar o concorrente nas pesquisas, o senador Eunício oliveira (PMDB). Ciro culpou a passividade de Camilo pela derrota nas estimativas de voto.