sábado, 29 de novembro de 2014

Ex-funcionários do BC são investigados por desviar cédulas que seriam destruídas

Polícia Federal (PF) investiga uma ex-servidora do Banco Central (BC)e um ex-funcionário de uma empresa terceirizada por desvio de cédulas que seriam destruídas em outubro de 2013. Na última quinta-feira (27), a PF cumpriu mandado de busca e apreensão na casa da ex-servidora. Computador e documentos foram apreendidos.
O possível desvio foi constatado pelo próprio BC em seus trabalhos de conferência no Departamento do Meio Circulante no Rio de Janeiro. A ação foi flagrada por câmeras de segurança instaladas no departamento, e as informações foram enviadas pelo órgão ao Ministério Público Federal.
Comunicada, a Polícia Federal entrou no caso e confirmou que houve desvios em pelo menos seis momentos distintos. As cédulas eram nos valores de R$ 10 e R$ 50. O montante total não foi divulgado.
Os envolvidos foram indiciados pelo Artigo 290 do Código Penal, por suprimir notas recolhidas para colocá-las de volta em circulação. A pena para o crime varia de dois a oito anos, além de multa. Como os dois eram funcionários da repartição que recolhe o dinheiro, a punição máxima aumenta para 12 anos.
Os suspeitos serão ouvidos nos próximos dias para o encerramento do inquérito. Ambos devem responder o processo em liberdade, quando a denúncia for encaminhada para a Justiça Federal