sábado, 29 de novembro de 2014

Assaltantes em Barbalha utilizavam munição envenenada com 'chumbinho'

Barbalha
A Polícia apreendeu um revólver calibre 38 e três celulares que tinham sido tomados de assalto
Dois dois assaltantes, acusados de atacar alunos no Centro de Barbalha utilizando armas com munição envenenada com 'chumbinho', foram detidos na tarde desta quinta-feira, 27. Com eles, os policiais militares apreenderam um revólver calibre 38 contendo cartuchos recheados com veneno para ratos e três celulares.
Os policiais da 2º Cia do 2º Batalhão de Polícia Militar de Barbalha com o apoio de uma composição do  Ronda do Quarteirão, sob o comando do capitão Lucivando Rodrigues, prenderam José Wanderson  Alves Gonçalves, de 23 anos, mais conhecido como 'Boicota' e seu comparsa,  identificado como Luciano da Silva Pereira, de 23 anos, o 'Lulu', pela prática de diversos assaltos.
De acordo com o capitão Lucivando Rodrigues,  a dupla agia na entrada e saída dos alunos  das escolas e das faculdades, no Centro de Barbalha. Conforme o oficial, os dois suspeitos utilizavam coletes de mototaxistas para enganar as vítimas e se aproximarem dos locais sem levantarem suspeita. Quando os passageiros se aproximavam, principalmente do sexo feminino, eram assaltados.
Segundo a Polícia, somente neste mês, foram realizadas cerca de 10 denúncias formais de ações praticadas pela dupla nas proximidades de centros educacionais. De acordo com o capitão Rodrigues,  o número de vítimas deve ser bem superior, pois nem todas as pessoas assaltadas formalizam a denúncia através do Boletim de Ocorrência (B.O).
Munição envevenada
Sobre as munições usadas, o capitão Rodrigues informou que essa prática não é comum, mas que os bandidos utilizam para tornar o tiro mais letal. No entanto, até o momento, a Polícia não foi informada de vítimas lesionadas com a munição envenenada.
Os suspeitos já tinham praticado assaltos nos municípios de Juazeiro do Norte, Crato e Missão Velha. A dupla, de acordo com a Polícia, responde a vários processos por  roubo. Luciano da Silva responde também por lesão corporal e pelo artigo 22º da Lei Maria da Penha, agressão doméstica contra mulheres.
José Wanderson e Luciano da Silva foram autuados por porte ilegal de arma e roubo e depois conduzidos a unidade prisional de Barbalha.