segunda-feira, 31 de março de 2014

Nova derrota da paz no Clássico-Rei

Montagem de fotos: Diário do Nordeste
A cada Clássico-Rei, a história se repete: a violência impera dentro e especialmente no entorno do estádio. Neste domingo, outra vez, o jogo foi marcado não só pelos acontecimentos em campo, mas novamente pelo excesso de ocorrências policiais.
Pelo menos 75 pessoas foram presas ou apreendidas e encaminhadas ao 16º Delegacia de Polícia por ocasião do duelo, válido pelo hexagonal do Estadual.
Próximo à Arena Castelão, um homem, identificado como Aglacir Vasconcelos de Souza, 22 anos, foi detido e um adolescente apreendido após soltarem explosivos contra um grupo de torcedores rivais.
No viaduto do Antonio Bezerra, por volta das 14h30, um ônibus onde estavam vários torcedores do Ceará foi depredado na alça do viaduto, que iria seguir pela Mister Hull no sentido Centro. Para dispersar os torcedores a policia utilizou bombas de gás lacrimogêneo. Com isso, logo em seguida a confusão começou, pois veículos que também estavam na alça do elevado começaram a dar marcha ré. Os que estavam na Mister Hull tentavam fugir pela contramão.
Poucos minutos antes do jogo começar torcedores do Alvinegro entraram em confronto com os do Tricolor na Avenida Juscelino Kubitschek, próximo ao cruzamento com a Rua São Tomaz de Aquino. Bombas e pedras foram jogadas dos dois lados.
Na Avenida Dr. Silas Munguba, antiga Dedé Brasil, o trânsito era lento, no sentido Parangaba/Castelão, pois a PM estava escoltando grupos de torcedores.
Um homem, que não teve seu nome revelado, foi baleado próximo ao estádio no início da tarde. A vítima sofreu um tiro de pistola na perna e foi socorrida por policiais militares.
Já na Arena Castelão, foram contabilizados sete Boletins de Ocorrência e uma prisão. Um adolescente foi encaminhado ao juizado por portar e manusear artefato explosivo dentro do estádio. A bomba atingiu a arquibancada inferior, mas ninguém saiu ferido. O jovem foi liberado após a chegada dos familiares.
Nos terminais do Antonio Bezerra e Parangaba, a situação estava tranquila. Na segundo o número de passageiros era grande, assim como a movimentação de carros e motos do lado de fora. Mas uma hora antes da partida pouco torcedores eram vistos. Já no Antonio Bezerra o número de passageiros era ainda menor.