quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Prefeito Cirilo Pimenta se defende de acusações de corrupção do MP-CE

O prefeito de Quixeramobim, Cirilo Pimenta, se defendeu das acusações feitas pelo Ministério Público do Ceará, que o denuncia por um manter um suposto esquema de corrupção envolvendo vereadores e servidores públicos. “É uma perseguição política, e o doutor Ígor [promotor responsável pelas investigações contra o prefeito] gosta muito de aparecer, ele gosta de televisão, de jornal, é isso que ele faz. Na minha casa eles não levaram nenhum papel, não encontraram nada, porque simplesmente não existe", diz.
Segundo denúncia do Ministério Público, familiares do prefeito são beneficiados com acúmulo ilegal de cargos, o que ele rebate. "Vou provar minha inocência porque a denúncia ela não é verdadeira, não existe ninguém da minha família sem trabalhar. Afastei meu filho em setembro, embora ele estivesse trabalhando, fiz para dar uma demonstração de desprendimento”, afirma.
O Ministério Público do Estado do Ceará e a Polícia Civil cumpriram nesta quarta-feira (30) 10 mandados de busca e apreensão contra suspeitos de corrupção na Prefeitura de Quixeramobim. Segundo o Ministério Público, prefeito e secretários municipais são responsáveis pelo desvio de verbas públicas por meio das práticas de contratação temporária de parentes do prefeito Cirilo Pimenta, um deles recebia quase o dobro do teto do funcionalismo público municipal (R$ 22.000,00). Com as denúncias, MP pede a cassação do mandato do prefeito.
Ainda segundo o Ministério Público, outra parente de Cirilo Pimenta desviou dinheiro público para a conta bancária pessoal; foram constatados a contratação de funcionários fantasmas; e há acúmulo indevido de cargos públicos, havendo o caso de um único servidor ter quatro funções e receber mensalmente R$ 64.957,51 e mais e mais de R$ 390.000,00 de janeiro a julho de 2013.
A investigação do Ministério Público se estendeu à Câmara Municipal de Quixeramobim e denuncia a existência de "vereadores fantasmas", que, mesmo afastados do cargo, seguem recebendo remunerações acumuladas de outros cargos públicos. Os vereadores considerados "fantasmas" recebem acima do teto do funcionalismo público da cidade.
Com a denúncia, o poder Judiciário determinou que fossem exonerados os parentes, cônjuge ou parente do prefeito Cirilo Pimenta. Determinou também a proibição de qualquer agente público receber remuneração superior ao subsídio do chefe do Executivo, sob pena de afastamento do prefeito Municipal e do presidente da Câmara.
O magistrado ordenou que fossem quebrados os sigilos bancários e fiscais dos investigados e a indisponibilidade dos bens móveis e imóveis de todos os envolvidos.
Neste ano, o prefeito Cirilo Pimenta já havia sido afastado do cargo por determinação da Justiça por suspeita de corrupção. Em abril, A Polícia Civil, com apoio do Ministério Público do Estado do Ceará (MP-CE), realizou uma operação contra corrupção na cidade. Foram cumpridos 30 mandados de busca e apreensão. O prefeito do município, o vice-prefeito, dez secretários municipais, o procurador-geral do município e vários dirigentes de autarquias são suspeito de desviar R$ 6 milhões por meio de fraudes de licitação. Segundo o MP-CE, 26 pessoas estão sendo investigadas.