sábado, 28 de setembro de 2013

Deputado comunica desfiliação de grupo de Cid a Eduardo Campos

O presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, deputado José Albuquerque, comunicou nesta sexta-feira (27) oficialmente ao presidente nacional do Partido Socialista Brasileiro (PSB), Eduardo Campos, a desfiliação de lideranças do partido no Ceará. O encontro foi, no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo pernambucano.
O governador do Ceará Cid Gomes anunciou a saída do Partido Socialista Brasileiro (PSB), na noite desta quinta-feira (26), após reunião com aliados em Fortaleza, sem declarar qual será sua próxima sigla. "A gente não tem mais espaço no PSB. Lamentamos profundamente, mas tomamos a decisão de sair'', disse. Ele declarou ter sido procurado pelo PP, PCdoB, PSD, PDT e Pros e quer se filiar a um novo partido na quarta-feira, 2 de outubro.
De acordo com o deputado José Albuquerque, o encontro com Eduardo Campos foi em “clima cordial”. "Transmiti ao governador Eduardo Campos os encaminhamentos que foram tomados na reunião realizada ontem (26), em Fortaleza, de forma bastante objetiva e com muita tranquilidade de ambas as partes", afirmou José Albuquerque.
Entre os dissidentes do PSB, estão o governador Cid Gomes, o secretário de Saúde do Estado, Ciro Gomes; os deputados federais Antonio Bahlmann, Ariosto Holanda, Domingos Neto e Edson Silva; e os deputados estaduais José Albuquerque, Ivo Gomes, José Sarto, Mirian Sobreira, Sineval Roque, Antonio Granja, Welington Landim, Sérgio Aguiar e Mauro Filho. Também se desfiliam do partido 38 prefeitos, entre eles, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, de Fortaleza) e 287 vereadores.
Cid e aliados apoiam a reeleição de Dilma Rousseff e discordam de uma eventual candidatura do presidente nacional do PSB, o governador Eduardo Campos (PE), à Presidência da República. A decisão da executiva nacional em entregar os cargos do partido no Governo Federal havia deixado Cid Gomes ainda mais isolado no partido desde a semana passada.
Após o encontro desta quinta-feira (27), Ciro Gomes fez críticas a Campos. "Não tenho preferência [de partido]. Defendo a unidade ao redor da figura do Cid. O Eduardo Campos segue um projeto pessoal e o PSB vai definhar nacionalmente'', afirmou.
Cid Gomes disse ainda que os próximos passos são procurar garantias para os desfiliados que têm mandato e iniciar conversas com cada um dos partidos que se dispuseram a filiar seu grupo.  Entre os presentes à reunião, a maioria citava o Pros como opção mais segura juridicamente para se filiarem.
Na terça-feira da próxima semana, o grupo se reúne novamente no Marina Parck Hotel, em Fortaleza, para definir a nova sigla. Ele quer se filiar a um novo partido no dia seguinte, quarta-feira, 2 de outubro.
Cid Gomes afirmou ter recebido convites de cinco partidos, mas disse não ter sido procurado pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Pretende avaliar cada um dos cinco.  "Eu recebi muitos gestos, de convites, de atenção, de dirigentes partidários que colocaram seus partidos à disposição (...) O presidente do PP Nacional, Ciro Nogueira, manifestou a disposição de nos acolher; o presidente nacional do PDT, Lupi [Carlos], também fez essa manifestação; o presidente nacional do PSD, ex-prefeito Kassab, também e o presidente nacional do PCdoB, Renato Rabelo (...) e eu vinha fazendo contato com o PROS'', afirmou.  Ao ser questionado se houve convite do PT, ele respondeu que não recebeu ''nenhuma manifestação do partido''.