sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Bancários repudiam declaração de Felipão sobre trabalho em banco


O Sindicato dos Bancários do Ceará emitiu nota em que repudia a declaração do técnico Luis Felipe Scolari sobre o trabalho dos bancários do Banco do Brasil, feita na entrevista coletiva desta quinta-feira (29), no Rio de Janeiro, ao reassumir o posto de treinador da Seleção Brasileira.
De acordo com o sindicato, ao afirmar que, “se não tiver pressão, vai trabalhar no Banco do Brasil, senta no escritório e não faz nada”, Felipão não apenas desrespeita os bancários, como demonstra total desconhecimento sobre a realidade dos trabalhadores do sistema financeiro nacional.
Cerca de 1.200 bancários são afastados do trabalho mensalmente, por razões de saúde, vítimas do assédio moral e da pressão para que cumpram as metas de produção e vendas impostas pelas instituições financeiras, inclusive o Banco do Brasil. 

Para o Sindicato dos Bancários, Luis Felipe Scolari começou mal como novo técnico da Seleção Brasileira. "Esperamos que ele não esteja tão desatualizado sobre futebol quanto está sobre as relações de trabalho nos bancos", repudia o presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, Carlos Eduardo Bezerra Marques. 
Leia na íntegra a carta de repúdio a Luis Felipe Scolari:
"Eu, Carlos Eduardo Bezerra Marques, cidadão brasileiro, bancário do Banco do Brasil desde 2001 e presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará e da Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro do Nordeste - FETRAFINE/CUT, venho a público manifestar meu total repúdio ao novo técnico da seleção brasileira de futebol, senhor Luís Felipe Scolari, pela sua declaração depreciadora e infeliz feita nesta quinta-feira, 29 de novembro, pela manhã, na sua coletiva de imprensa contra os mais de 100 mil bancários do Banco do Brasil.
O técnico da seleção deveria conhecer a realidade vivida cotidianamente por um bancário do Banco do Brasil que sofre pressão para cumprimento de metas inatingíveis, assédio moral, é perseguido por lutar e defender seus direitos e combater as fraudes trabalhistas que ocorrem dentro do banco.

Entendo que o senhor Luís Felipe Scolari, como pessoa pública e formadora de opinião, deveria se retratar e pedir desculpas aos bancários do BB, pois eles exercem um papel fundamental na sociedade brasileira, trabalhando de forma exemplar e com eficácia em um dos maiores patrimônios do povo brasileiro, que é o Banco do Brasil. 
Carlos Eduardo Bezerra Marques, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará"