quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Ex-deputado do Ceará Ciro Gomes recusa retratação com policiais

 
Terminou sem acordo nesta terça-feira (30), a audiência de conciliação,  no 3º Juizado Especial Cível e Criminal (JECC) de Fortaleza, entre o ex-deputado Ciro Ferreira Gomes e representantes da Associação dos Profissionais de Segurança Pública do Ceará. O ex-parlamentar é acusado de difamação e injúria, por ter chamado policiais e bombeiros grevistas de “marginais fardados”, durante a greve da Polícia Militar, no início deste ano.

Na audiência, conduzida pelo promotor de Justiça Antônio Edvando Elias de França, foi proposto que Ciro Gomes se retratasse ou pagasse multa de cinco salários mínimos a cada um dos 30 militares que entraram com a ação. O ex-deputado não aceitou o acordo. O processo será encaminhado à titular do 3º JECC, juíza Maria Cristiane Costa Nogueira, que dará início à fase de instrução.

A greve dos bombeiros e policiais militares foi deflagrada em 29 de dezembro de 2011 e chegou ao fim no dia 4 de janeiro deste ano, após acordo com o Governo do Estado. A categoria reivindicava incorporação de gratificação e redução na jornada de trabalho.

Fonte: G1 CE